Planta Daninha…Será?

 

    Um belo dia você olha o seu jardim e vê que muitas plantas nasceram espontaneamente, sem ser plantadas ou semeadas, e tem seu desenvolvimento bem maior que suas cultivares. São chamadas plantas daninhas, invasoras, inço ou plantas espontâneas. Eu prefiro chamá-las de Plantas Indicadoras . Essas plantas indicam que algo ocorre naquele espaço (solo), no qual beneficia o seu surgimento.

  As plantas indicadoras evidenciam a qualidade do solo demonstrando possíveis erros ou acertos no seu manejo. Vamos a alguns exemplos:

 

Caruru (Amaranthus spp.)

Planta com potencial comestível e medicinal, indicadora de solo fértil (com muita matéria orgânica  e relativamente sombreados).

 

Beldroega (Portulaca oleracea L.)

Indicadora de solos férteis. Trata-se de uma planta de grande valor nutricional e medicinal.

 

 

Guanxuma (Sida spp.)

Indicadora de solos compactados ou superficialmente erudito. Em solo fértil fica viçosa e em solo pobre fica pequena.

 

 

Capim barba-de-bode (Aristida pallens)

Solos de baixa fertilidade compactados.

 

 

Azedinha ou Trevo (Oxalis oxyptera)

Indicadora de solo argiloso, Ph baixo e deficiência de cálcio e Molibdênio (Mo).

 

Capim carrapicho (Cenchrus echinatus)

Indicadora de solos decaídos e compactados. Pobres em Cálcio (Ca). Desaparece com a recuperação do solo.

 

Carqueja (Bacharis articulata)

Planta medicinal, indicadora de solo pobre, compactação superficial, prefere solos com água estagnada na estação de chuvas.

 

Dente de Leão (Taraxacum officinale).

Comestível, indica solo fértil.

 

 

Tanchagem (Plantago maior)

Planta medicinal, indicadora de solo com pouca aeração, solos compactados ou adensados.

 

Tiririca (Cyperus rotundus)

Solos ácidos, adensados, anaeróbicos, com carência de Magnésio (Mg).

 

Picão preto (Bidens pilosa)

Comestível e medicinal é indicadora de solo com excesso de Nitrogênio (N) e deficiente em micronutrientes, principalmente Cobre (Cu). Solos desequilibrados.

 

    Além destas citadas, existem várias outras plantas, que além de indicar a qualidade do solo, muitas são usadas na culinária e consideradas medicinais. Por isso é tão importante conhecer e perceber o que está ocorrendo em seu jardim, em seu gramado, ele nos mostra claramente através das Plantas Indicadoras qual procedimento necessário a se tomar apenas com manejo e o melhor: Sem venenos, sem herbicidas…

      Até a próxima…

Abraços verdes!!!

Publicado em Plantas Indicadoras | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , | 6 comentários

Jardim X Gato

 

Desde pequena tenho adoração por Plantas e Animais…Se não fosse Paisagista com certeza teria sido Veterinária. Essas duas paixões como sabemos, não são muito compatíveis, mas vou tentando sempre!!!

Depois de alguns anos sem um gato em casa, resolvi que adotaria um (sim, adotar faz um bem enorme, uma experiência gratificante, vale a pena experimentar)… E eis um novo felino em meu lar!!! Isso também quer dizer no meu JARDIM, VASOS E CIA!!!

Os cachorros aprendem logo quando você ensina (o meu só falta falar, hehehe), mas os gatos são um pouco mais “temperamentais” digamos assim…

Gatos são curiosos e exploradores e com certeza não conhecem o significado das palavras: Propriedade Privada!! Pois bem, de nada adianta colocar plaquinhas com dizeres: “Proibido fazer de WC canteiros”, “Planta em Extinção” ou “Planta rara” eles não iram entender…

Existem algumas medidas “Humanas” (sim, digo humana!! pois já vi tanta coisa por aí…) que podemos tomar para manter os bichanos afastados, vamos a elas:

Desencorajando visitas   

Gatos são animais rotineiros, fazem sempre sua ronda, e reconhecem muito bem sua área de toalete pelo cheiro (e que cheiro!!). Um bom começo é limpar qualquer evidência de fezes. Não aconselho colocá-las para compostagem.

Cuide sempre do seu lixo, ao colocar restos de comida em locais acessíveis encorajamos principalmente gatos de rua a incluírem nossa casa na sua rotina diária.

Terra aparecendo é sempre um convite ao felino, tente manter o solo coberto; forração, plantas de porte pequeno ou até mesmo grama. Como sabemos o gato é muito higiênico, faz e tampa suas fezes!! Evite usar pedras muito pequenas para cobrir o solo, o ideal é pedras maiores que não possa ser mexida pelo inquilino ou visitantes!!

Gatos não gostam de pisar em solo molhado, um bom motivo para não esquecer de molhar seu jardim…Um sistema de rega ativada pelo movimento também é bem vinda, gatos são curiosos mais também assustadiços, não iram gostar de serem surpreendidos por um jato de água todo o dia!!

 

 

 

 

Colocar pó de café em canteiros ou casca de cítricos. No momento de sua limpeza eles não vão gostar do cheiro e gosto que fica em suas patinhas, associando isso ao local;

Em hortas, é aconselhável cobrir o solo depois da semeadura com uma rede fina, dificultando a escavação e deixando suas sementes e plantas jovens a salvo;

Garrafas pet incolor com água. Dizem que eles odeiam reflexos… Galhos espinhentos colocados em canteiros;

Nos vasos, para quem não se importa com o cheiro, pendure saquinhos de pano com naftalina, os gatos, assim como eu, odeiam o cheiro!! Recobrir vasos com papel alumínio dá bons resultados assim como salpicar pimenta no local (isso eu acho crueldade)….

O melhor mesmo é usar… Plantas que repelem:

Uma boa opção, é ter em canteiros plantas que repelem a presença dos gatos. Um ótimo exemplo disso é a “Plectranthus caninus”, ela libera um aroma forte semelhante ao mentol. É uma erva da família das mentas, Lamiaceae, nativa do leste da África e sul da Ásia

Coleus canina

Sob o nome “Coleus canina”, ela é vendida e comercializada como um repelente natural para cães e gatos (rotulados como “Planta medroso” e “planta Piss-off”), embora nenhuma pesquisa exista atualmente que suporte esse uso, mas na prática é bem eficiente.

Estas plantas enraizam facilmente a partir de estacas. Elas gostam de sol pleno. Se crescem na sombra, suas hastes alongam mais rápido do que as folhas novas em crescimento, em busca de mais luz, isto é conhecido como estiolamento.

Alecrim

Lavanda

Poejo

 

 

 

 

 

 

 Outras plantas eficientes são: Lavanda (Lavandula sp), Poejo (Mentha pulegium), Rosmarinus officinalis (alecrim), Helichrysum angustifolium, assim como várias espécies da família das Rutáceas; anis, arruda, cidreira entre outras.

Mas para quem não consegue, como eu, viver sem esses bichinhos peludos, eu aconselho mesmo é criar um lugar especial no jardim para o seu gatinho.

Delimite um espaço, criando uma zona com areia para suas necessidades e mantenha limpa, isso é muito importante, gatos são asseados por natureza não iriam gostar do seu banheiro sujo. Coloque pequenas toras enterradas para fazer de afiador de garras (isso poupará seu sofá), e para terminar plante erva-de-gato (Nepeta caninus) a famosa Catnip, eles adooooram e é um espetáculo observá-los sobre o efeito da planta. (Não se preocupe, ela é inofenciva para saúde do seu gato).

                                                                                                                                                                                                         Os gatos são extremamente atraídos pelo cheiro desta planta “Catnip” que atua sobre o sistema nervoso central como uma droga  fazendo eles se sentirem “zen”, e eles podem ficar tão fascinados por ela que vão esquecer de desenterrar suas mudas.

Nepeta caninus (catnip)

 

 

 

  Sempre é possível viver em harmonia, é só prestar atenção e fazer pequenas mudanças!! O Bóris, o mais novo membro da família, que o diga!!

Abraços Verdes!!

Publicado em Dicas | Com a tag , , , , , , , , | 2 comentários

…e o Verde Decorou as Paredes…

     A falta de espaços com vegetação está com os dias contados. Hoje, mais do que nunca as pessoas necessitam do verde mais perto. Sem precisar de muito espaço, os jardins saíram da horizontal e foram parar na vertical!

Jardins Verticais ou Paredes-Vivas entraram na moda e vieram pra ficar!

 

Ouso falar que os Jardins Suspensos da Babilônia foram precursores desta idéia. Claro, que não foram plantados em paredes, mas traziam muito verde para as edificações.

        Há 25 anos atrás, depois de muita observação e pesquisa o botânico francês Patrick   Blanc, especialista em plantas da floresta subtropical, desenvolveu a técnica desse novo estilo de jardim. Com uma estrutura que é composta  de molduras de PVC,  camadas de feltro, onde se desenvolvem as raízes das plantas e a irrigação automática onde são acrescentados os adubos conforme necessidades das espécies, dão um show a parte para qualquer espaço. De lá pra cá muitas técnicas foram criadas.

Jardim Vertical Patrick Blanc

Jardim Vertical Patrick Blanc

 

 

 

 

 

 

Os Jardins Verticais se tornaram uma excelente opção para espaços pequenos como varandas de apartamento e estabelecimentos comerciais, que dificilmente contam com espaços para o cultivo em solo. Disfarçam muros, embelezam fachadas e até na parte interna de residências já decoram as paredes com muito verde.

Fachada de residência

Parede Interna

Muro residêncial

 

 

 

 

 

 

Humanização de Escritórios

Quadro Vivo Interno

 

 

 

 

 

 

  As vantagens são inúmeras: purificam o ar, trazem conforto térmico e acústico, minimizam o “cinza” urbano, relaxam, e além disso embelezam com cores e texturas das plantas, que podem ser com flores ou somente folhagens.

 

Quadro Vivo

Quadro Vivo de Madeira

 

 

 

 

 

 

Parede em Salão

   

 Podem ser ultra-sofisticados, como também bem simples, com o aproveitamento de materiais que seriam descartados, a famosa reciclagem que hoje em dia está em alta. Os exemplos abaixo mostram que com criatividade dá para ter um belo painel verde embelezando nossos espaços.

 

 

Feito de Pallets

Feito de Feltro

Pallet Rústico

 

 

 

 

 

Horta Vertical de Calha

De Madeira

Fibra de Coco

 

 

 

 

 

De bolsa de Viagem

De Veneziana

 

 

 

 

 

 

 

A criatividade não tem limite, teste a sua!!

 

 

 

  Sobre cuidados, é o mesmo que um jardim normal; regas (quase sempre automatizadas), podas, adubação e iluminação. A escolha das plantas para cada tipo de espaço é essencial, e o mais importante: uma instalação criteriosa para não trazer problemas futuros. Na dúvida contate um bom profissional. Depois é só relaxar….

 

Abraços Verdes!!

 

Publicado em Novidades | Com a tag , , , , , | 8 comentários

Dicas de Cultivo de Orquídeas

São belas e majestosas, considerada planta nobre. Vão bem em arranjos, destacam-se em vasos dentro de casa, e nos jardins, agarradas em troncos de árvores dão um charme especial.

Elas são: “As Orquídeas”

Dicas para um bom cultivo:

  • Substrato leve:

Carvão Vegetal

Casca de Pinheiro

Fibra de Coco

Esfagno

Turfa de fibra de Coco

 

 

 

 

  • Nunca mantenha as plantas com “os pés” molhados. Prefira água não clorada para regas e pulverizações.
  • Esterilizar bem a tesoura usada para podas, ou qualquer material de manuseio. As orquídeas são muito sensíveis a pragas e doenças, e isso evita contaminações.
  • A bancada de trabalho deve ser bem limpa, use escova, água e sabão. Depois um pouco de cloro desinfetará qualquer resíduo existente.
  • Em caso de orquidários, mantenha-o limpo, assim como o terreno ao redor. Vasos quebrados, restos de podas, são um convite para o desenvolvimento de fungos.
  • Usar sempre vasos  um pouco maior que o torrão da planta, nunca vasos muito grandes .
  • Os melhores vasos para o plantio de orquídeas são os de barro ou fibra de coco, já que os de xaxim são raros. Evite os de plásticos, que dificultam a respiração das raízes.

Vasos de Barro

Vaso de Fibra

 

 

 

 

 

  • Evite sempre sol direto, principalmente entre 10h e 16h. Os raios solares podem e vão queimar suas folhas. O ideal é um lugar levemente sombreado como: embaixo de árvores, telhados ou ripados.
  • Se for viajar, proporcione umidade adequada, deixe suas plantas em um lugar arejado. Numa forma coloque seixos rolados e água  colocando os vasos em cima, elas absorveram água por capilaridade.
  • Cuide com ventos encanados,eles devem ser barrados. As orquídeas preferem uma brisa suave e contínua.
  • Uma boa dica para incentivar a floração é acrescentar na água da rega uma colher de torta de mamona para cada litro de água a cada seis meses.
  • As orquídeas tendem a sofrer com ataques de fungos. Óleo de Neem é um excelente preventivo contra pragas e doenças, além de ser natural. A calda bordalesa é um ótimo fungicida.
  • Após floração cortar a haste floral deixando uns 20cm de comprimento, isso estimula nova floração.

Com essas dicas fica simples de manter suas orquídeas sempre bonitas, seja no jardim ou dentro de casa!!

 

“Ao maior dos reis, leve um buquê de  orquídeas”

(Frase dita por uma escrava a rainha de Sabá, que ao escolher um presente a altura do rei Salomão, aceitou a sugestão e assim o conquistou)

Abraços Verdes!!

Publicado em Dicas | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Quer um jardim saudável? Conheça a Teoria da Trofobiose!!

Assim como nós, as plantas também ficam doentes. Pragas, vírus, bactérias, fungos, esses parasitas que tanto nos incomodam, assombram também nosso jardim. O que fazer para minimizar ou até eliminar esse problema?

Conhecendo a Teoria da Trofobiose que foi elaborada pelo pesquisador francês Francis Chaboussou em 1969 , (onde Trofo = Alimento e Biose = Existência de Vida), na qual diz que as plantas adquirem o máximo de resistência biológica através de nutrição equilibrada;  adequação da luminosidade; a disponibilidade de água em se tratando da preferência de cada espécie,  com certeza esta planta vai repelir a ação de patógenos.

Isso acontece porque recebendo suas necessidades, seu metabolismo fabrica substâncias complexas como: proteínas, açúcares e vitaminas, as quais não são digeridas pelo aparelho digestivo de insetos e microorganismos. Quando há carência ou excesso (desequilíbrio), de qualquer uma destas necessidades a seiva será formada apenas por aminoácidos, substância simples e de fácil digestão para os inimigos, abrindo assim uma “porta” para o “banquete”.

                 Este desenho exemplifica a teoria.

Nem sempre é fácil manter um espaço com plantas totalmente ‘sadias’. Conhecendo bem a espécie e suas exigências já é um bom começo! Quando temos este conhecimento já estamos colocando em prática parte do controle ecológico, que nada mais é que: diminuir as chances de um ataque fortalecendo a planta. Esse controle é muito usado em cultivos de uma mesma espécie.

Há outros fatores que influenciam a resistência das plantas. São os períodos críticos do seu ciclo e outros executados pela mão do homem:

  • Na formação da inflorescência as folhas perdem o poder de síntese, podemos dizer que há certa decomposição de suas proteínas deixando “aquela porta-aberta” que falamos antes.
  • Adubos químicos, (sais solúveis concentrados), muitas vezes, provocam alterações no metabolismo das plantas, propiciando uma absorção descontrolada e um desequilíbrio nutricional, podendo ainda causar mudanças nos padrões químicos e físicos do solo tendo uma ação indireta sobre microrganismos existentes.
  • Os agrotóxicos afetam a resistência, diminuem a respiração, transpiração e a fotossíntese das plantas, além de afetar a vida do solo.

Sempre que puder optar, use adubos orgânicos, adubos minerais de baixa solubilidade, estes se tornam disponíveis gradativamente para absorção das raízes, aumentando assim, a proteossíntese (formação de proteínas), e ainda melhoram a característica física e química do solo.

Defensivos naturais exercem uma ação benéfica no metabolismo das plantas e não interferem na vida do solo.

Para alcançarmos o tão almejado “Jardim Saudável”, devemos aprender a dialogar com ele, conhecer os sinais e observar indicadores biológicos. Corrigir o desequilíbrio eliminando a causa do problema ao invés de eliminar as conseqüências. Na falta de conhecimento, procure um bom profissional, que poderá indicar meios ecologicamente corretos de nutrir, tratar e manter seu “Jardim Saudável”.

         Até a próxima!!

         Abraços Verdes!!

Publicado em Pragas e Doenças | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , | Deixar um comentário

Proteção e cura??? Use plantas!!!

Quem não ouviu falar que, uma determinada planta morreu ou murchou após uma visita de pessoa invejosa em sua casa? ou: “estava com uma dor de cabeça horrível, tomei um chá de hortelã e foi tiro-e-queda?”. Com certeza todos nós temos histórias parecidas para contar… Alguns acreditam, outros nem tanto…

Há milênios o homem utiliza as plantas e ervas como fonte de cura e bem-estar. Os Gregos utilizavam ervas e óleos aromáticos, convencidos que somente os deuses poderiam ter criado aromas tão profundos e que isso os levariam a alcançar o Olimpo e obter proteção, força, cura e beleza. As tribos indígenas sempre souberam como retirar ” todo esse poder” em seus rituais. Para a ciência, ainda é um mistério compreender  esse poder místico, mas sabe que algumas ervas podem ser benéficas a saúde.

Conheça aqui algumas plantas e ervas que protegem, curam e embelezam:

Alecrim: (Rosmarinus officinalis)

          O nome científico Rosmarinus do latim significa “orvalho que vem do mar”, por ter flores azuladas que inundam as praias do Mediterrâneo, lembrando orvalho.

     Usado como amuleto contra mau olhado, purifica e aumenta a auto-estima. Pela reputação de estimular a memória, conta-se que estudantes gregos usavam ramos de alecrim no cabelo, quando submetidos a exames.

O Alecrim para os romanos simbolizava o amor e a morte. Para os gregos; símbolo da imortalidade. Para os místicos; protege, traz ânimo, mantém a mente aberta e purifica a alma. Antigamente queimavam-se caules de alecrim nos quartos de doentes em hospitais para purificação do ar.

Propriedades medicinais: para asma, reumatismo, eczemas, contusões, anti-séptico bucal, cicatrizante de feridas e tumores e para os cabelos, fonte de brilho.

Alho: (Allium sativum L.)

        Extremamente protetor, tanto para a saúde até para o mau olhado. O alho tem origem a cerca de 6.000 anos, ou até mais, pois se analisarmos a visão maometana de Satã sendo expulso do Paraíso, com cebolas a brotar da pegada direita e alho da esquerda….com certeza bem mais que 6.000 anos.

Para todas as culturas o alho era um elemento quase tão essencial quanto o sal. Apesar da rejeição das classes mais altas, em razão do seu odor. Foi chamado de “Cânfora dos pobres”, ingrediente essencial na alimentação dos escravos e operários para que não adoecessem. Utilizado também pelos egípcios como parte da mumificação dos mortos, com poderes de conservação e para afastar espíritos malignos.

Tanto na antiguidade como nos dias atuais o alho ainda é usado para proteger os vulneráveis do mau-olhado, virgens, recém-nascidos, casais de noivos.

Propriedades medicinais são vastas, diminui a hipertensão, reduz o colesterol, previne tipos de câncer, previne e combate infecções, ação antiviróticas e bactericidas e a mais conhecida de todas previne resfriados e gripes.

Arruda: (Ruta graveolens)

         A arruda possui diversas indicações medicinais para uso externo, mas ela é mais conhecida por proteger contra o mau-olhado e outras vibrações negativas. Quando Londres foi atacada pela peste, milhares de pessoas morriam por semana e tinham suas casas marcadas com uma cruz vermelha.  Alguns ladrões não se intimidavam com o aviso, e entravam para roubar, não sendo atingidos pela peste, pois estavam protegidos por um milagroso vinagre anti-séptico, do qual um dos seus principais ingredientes era a arruda. Esse vinagre ficou conhecido como o vinagre dos quatro ladrões.

Segundo crenças, deve ser usado um galho de folhas por cima de uma orelha ou um vasinho dentro ou fora de casa para repelir maus fluídos. Tomar um banho com esta planta, combate todos os tipos de mau-olhado, pois sempre foi associada à proteção contra bruxas, espantando o quebrante.

Endro: (Anethum graveolens)

        Planta herbácea anual muito utilizada como condimento e na medicina popular. Como planta protetora, afasta pensamentos negativos desde que se use um saquinho de sementes próximo ao coração. Usada também em feitiços de amor. Quando pendurados alguns ramos nas janelas e portas de casas ou em quarto de bebês serve de proteção contra todo o mau-olhado.

 Comigo-ninguém-pode: (Dieffenbachia sp.)

        Seu nome popular diz tudo! Todas as partes desta planta são altamente tóxicas. Bela por fora, mas muito perigosa por dentro.

        Acredita-se que quando cultivada junto à porta de entrada da casa, torna-se um escudo, absorvendo as energias negativas de pessoas mau- intencionadas, transformando o mau-olhado e inveja em prosperidade. Seu poder aumenta quando plantada junto com a espada-de-são-jorge. Mas é bom ter cuidado ao manuseá-la, principalmente em casas onde tenham crianças, pois segundo alerta da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o oxalato de cálcio  encontrado na planta pode causar, se ingerido, edema na garganta levando a asfixia e em alguns casos até a morte.

Espada-de-são-jorge (Sansevieria trifasciata)

       É sem dúvida uma das plantas mais potentes no quesito de absorver e cortar energias negativas, dizem os entendidos que quando uma espada seca, a “coisa” está muito feia.

     Protege e corta o mau-olhado e inveja, em estabelecimentos comerciais, garante bons negócios. Ao cortar as energias negativas, ela atrai coragem e prosperidade ao lar. Alguns dizem que espanta os maus espíritos.

 

Árvore da felicidade ( Polyscias fruticosa – Fêmea) (Polyscias guilfoylei – macho)

         Existem duas espécies diferentes do mesmo gênero e ambas pertencem à família das araliáceas. Uma é macho e outra fêmea. Segundo tradição oriental precisam ser plantadas juntas, no mesmo vaso, para trazerem sorte e felicidade a quem cultiva. Outro fato interessante é que precisamos receber de presente as mudinhas. Catalisa energias positivas e traz fortuna a seu dono.  Ótima dica de presente.

Guiné ( Petiveria alliacea)

        É uma planta medicinal, muito usada contra a falta de memória, reumatismo, o pó da raiz ameniza dor de dente e em gargarejos para dor de garganta. Uso externo, pois é tóxica.

        Na crendice popular, plantada junto com a arruda, a guiné funciona como “antena” que captaria as más vibrações, deixando a sua parceira, arruda, neutralizar as energias negativas com seu poder desinfectante.

Pimenteira (Capsicum sp.)

        Condimento para a gastronomia, com sabor picante e ardido, a pimenteira serve também para afastar energias negativas do ambiente. É uma planta de vibração estimulante, afrodisíaca, tonificante e atrai boas energias para o amor.

Além de todos esses atributos, trás ao ambiente um colorido com seus frutos que vão do amarelo ao vermelho.

Manjericão (Ocimum basilicum)

         Rica em vitamina A, B e C e minerais, essa planta é muito utilizada na gastronomia e vai mais além, excelente hidratante de cabelos e pele, auxilia na boa circulação, dores reumáticas, tosse e resfriados, ajuda na digestão, afasta fadiga e dá uma excelente pomada antibacteriana.

É a erva das fábulas, oriundo das Índias, o manjericão é venerado como planta imbuída de essência divina (consagrada a Krishna e Vishnu), por isso os indianos faziam seus juramentos em tribunal sobre a planta. Também colocado um ramo no peito dos mortos, o qual serviria de passaporte para o paraíso. Algumas igrejas ortodoxas o utilizam no preparo da água benta, por ser encontrada em volta do túmulo de Cristo.

Em Creta, o manjericão simbolizava o amor banhado com lágrimas e na Itália é usado como prova de amor e fidelidade. No Haiti, acompanha a deusa pagã Erzulie, como uma poderosa proteção, no México, as camponesas usam um ramo no bolso para atraírem os olhares de algum eventual apaixonado.

         Na crendice popular simboliza a prosperidade, abundância e boa sorte!

Hortelã (Mentha peperita)

         Planta herbácea, rizomatosa, com porte erecto e com flores pequenas de cor malva ou violeta. Seu uso é amplo, no jardim afasta pulgões; na culinária, tempera  doces e salgados; na cosmética usada no rejuvenescimento e clareamento de pele, contra o mau hálito e para banhos estimulantes; em receitas medicinais; para  resfriados, gripes e dores de cabeça. Para boa digestão. Macerada, em picadas de insetos .

Mas a quem a use para atrair saúde, pois fortalece a autoconfiança, dá proteção, dissolve pensamentos negativos, medo e egoísmo. Atraí dinheiro, amizade e amor, acredita-se que é afrodisíaca.

Enfim, a lista é infinita de plantas com particularidades de cura e proteção. Nos próximos, vamos conhecer outras espécies. Mas não caia na tentação de obter um “mix”  destas plantas em vasinhos como são vendidos nos comércios locais, jamais dá certo, pois a necessidade de luz, água e substrato de cada espécie difere entre-elas.

Então, já fez sua escolha?

Superstição, placebo ou não, vale apena ter plantas em casa, se não proteger ou curar, no mínimo embelezam o ambiente!!!!

Publicado em Plantas Místicas | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , | 2 comentários

Pragas – Esses bichinhos indesejáveis….

Todos nós sabemos que planta bem nutrida, com irrigação adequada, bem ambientada e com insolação na quantidade ideal para cada espécie, resistem muito bem e até repelem o ataque de pragas comuns em nossos jardins.

Neste post vamos falar de “pragas” mais frequentes em nosso jardim. Da identificação até o tratamento natural ( receitas caseiras), para a eliminação destes bichinhos inconvenientes.

fonte google

Formiga: Dentre todas as formigas, a mais temida em um jardim é a Cortadeira (Nome Ciêntífico: Atta spp), com sua colônia, pode devastar  plantações inteiras rapidamente, imagina num pequeno local como seu jardim…

A identificação do ataque fica muito claro, seus sinais são:

  • Folhas cortadas nas bordas,
  • Trilhas com minúsculos pedaços do vegetal,
  • Carreiros e ninhos ( formigueiros) que deverão ser identificados.

Ao eliminar partes do vegetal, a formiga limita a superfície foliar na qual é realizada a fotossíntese. Algumas plantas se recuperam rápido, se o ataque não for intenso, em outras pode levar a morte.

Controle: Aconselhamos sempre métodos naturais para o controle de ataques, pois quase sempre temos os ingredientes em casa, além disso são mais seguros. Então vamos a eles:

  • Procurar o ninho ou formigueiro. Colocar no “olho”do formigueiro, uma solução feita de uma parte de água sanitária para cinco partes de água, isso é necessário para eliminar o fungo que alimenta as formigas. Faça isso diariamente.
  • Usar plantas repelentes ou tóxicas, como: hotelã (pode ser plantada em canteiros ou seca, lançada no solo). Gergelim, é uma isca natural, a semente é tóxica e destrói o fungo que serve de alimentação para as “danadinhas”. A salsa é um ótimo repelente também.
  • Produtos repelentes: a casca de ovo moída, carvão vegetal moído ou farinha de osso (esta só poderá ser usada se no local não houver trânsito de cachorros). Faça uma círculo em volta da espécie a ser protegida.

Pulgão: São insetos sugadores de seiva, perfuram os vasos condutores e se alimentam consecutivamente, existem milhares de espécies e cores diferentes e se multiplicam rapidamente. Seu principal predador é a famosa “joaninha”. Também são transmis- sores de doenças entre as plantas e favorecem surgimento de fun- gos. A identificação é muito fácil, pois formam colônias na parte inferior de folhas, caules e talos, também deixam as folhas retorcidas. Podem levar a morte da espécie atacada.

Controle; A calda de fumo, costuma funcionar muito bem.  Receita: 10cm de fumo em corda picado, 10ml de álcool, 1 litro de água. Deixe curtir por 24h, para ocorrer a extração da nicotina, um ótimo repelente natural. Feito isso, dissolva em 10litros de água e pulverize as plantas. Funciona como repelente, então pode ser usado em plantas sadias também, como prevenção. Óleo mineral, comprado no comécio é um excelente repelente.

Vale lembrar que planta sadia têm resistência natural às pragas que costumam atacar as plantas deficientes.

Cochonilha: São insetos sugadores de diferentes formas e cores, as fêmeas não tem asas, ficam inerte em folhas, caules e axilas. O macho possue par de asas, parecendo uma mosquinha.  Sua reprodução é acelerada, as fêmeas depositam ovos  onde eclodem ninfas.

O excremento da cochonilha  é adocicado, o que atrai formigas, o que passa a ser um segundo problema para as plantinhas. Nesta substância, cresce um fungo negro, a fumagina, que prejudica o crescimento da planta e sua disseminação é feita pela formiga a procura da substância adocicada.

Controle:  Calda de fumo misturada a sabão de coco dissolvido em água. Pulverizar a planta afetada. O sabão forma uma camada que asfixia o inseto.  Uma boa pedida também é o óleo de Neen ou óleo mineral. Pode-se também fazer uma limpeza retirando a parte mais afetadas e queimando-as.

 

Curiosidades: Uma espécie de cochonilha mexicana, é usada na fabricação de verniz. Outra oriental, por segregar muita cera, é usada na fabricação de ceras e velas. Na India uma espécie é medicinal, e algumas  são fontes de corantes como o carmezin.                                  ( fonte: www.praga.com.br)

 

Lagarta: Marandovás, bicho-cabeludo, taturanas, todas conhecidas como lagartas, podem se transformar em borboletas,   ( hábitos diúrnos) ou mariposas (hábitos noturnos). Costumam atacar folhas novas, brotos novos, hastes tenras. Todas as plantas com folhas macias estão sujeitas ao ataque de uma lagarta. A identificação fica óbvia, folhas e brotos furados, roídos ou derrubados, com o inimigo “in loco”.

Controle: Catação manual é a melhor maneira de se livrar deste inimigo, mas vale lembrar que se não fossem elas, não veríamos a beleza e a graça de uma borboleta “borboleteando” em nosso jardim, então vale a pena a lei do bom senso!!!!

Como prevenção, pulverizar com óleo de Neen, facilmente encontrado em floriculturas e agropecuárias.

  •  Importante: usar luvas ao fazer a catação manual.

Ácaros: Aracnídeos minúsculos, atacam flores, folhas e brotos, deixando marcas semelhantes a ferrugem. Sugadores vorazes, enfraquecem a planta afetada ao desviarem nutrientes.O ataque faz com que a planta diminua seu crescimento, brotos novos com má formação ou superbrotação, diminuição da floração, e quando a infestação é grande, pode ocasionar a morte da espécie.

Controle: Calda de fumo , ou um acaricida de leite e farinha, proceda da seguinte forma: 1 litro de leite desnatado, 4 xícaras de farinha de trigo, 20 litros de água, misture bem o leite e a farinha, adicione 8 litros de água, depois coe, completar a mistura com o restante da água. Pulverize as plantas afetadas de 15 em 15 dias ou quando necessário.

Outra dica é borrifar as plantas com água regularmente, pois o ácaros não gostam de umidade.

Percevejos e vaquinhas: Conhecidos por “Marias-fedidas” ou “Fede-fede”, muitas vezes bonitinhos e coloridos, parecendo besourinhos, picam e sugam a seiva das plantas injetantando substâncias infectantes. Nos locais perfurados ficam manchas escuras. Seu ataque costuma provocar queda de folhas, flores e frutos, prejudica novas brotações. Seu principal predador é a Vespa.

Controle: Catação manual, use sempre luvas, pois esses bichinhos honram seu nome quando se sentem ameaçados…fedem mesmo!!!  Óleo de Neen ou calda de fumo também servem como repelente.

 

Mosca branca: São insetos recobertos por uma substância branca, por isso seus nomes vulgares: “moscas brancas” ou “piolhos farinhentos”. Sugam continuamente a seiva vegetal provocando o definhamento. Sem controle, leva  a morte a planta afetada.

Recentemente este inseto provocou a morte vários exemplares de ficus na cidade de São Paulo.

Controle: Calda de fumo e Óleo de Neen são usados como repelentes. Inseticidas naturais como Rothenox 5 concentrado Emulsionável, que é extraído da raíz do Timbó (Lonchocarpus nicou), também trazem um ótimo resultado, mas exige cuidados na aplicação, apesar de ser natural apresenta toxidade.

 

Tripes: Pequenos insetos alados, encontrados no inferior das folhas , flores, ramos e frutos, vivem em colônias  fácilitando sua identificação. Sugam a seiva vegetal. As partes afetadas ficam descoloridas e manchadas podendo transmitir viroses e doenças.

Controle: os mesmos procedimentos  do controle da mosca branca.

Bom, acho que detalhamos as principais “pragas”que assombram nosso jardim, como identificá-las, o “estrago”que ocasionam e como combatê-las com produtos naturais. O assunto é vasto, seria necessário, não um post, mas sim um livro. Sendo assim, para qualquer dúvida, não se acanhe, comente, pergunte, estaremos a disposição para ajudar.

Nos próximos, vamos conhecer algumas das principais doenças, falar de plantas companheiras (alelopatia), e mais receitinhas da vovó!!!!

Abraços verdinhos para todos!!

Publicado em Pragas e Doenças | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , | 4 comentários

Como o Paisagismo transforma um espaço…

Muitas vezes nos deparamos com espaços nada atraentes, mas notamos que o mesmo, tem grande potencial…isso aconteceu quando nos deparamos com a missão de transtormar este lugar,  pouco frequentado pelos morados, em um prolongamento do atelier de uma artista plástica.

Fotos do antes voce confere abaixo:

Os seguintes critérios foram usados:

Analisamos o tipo de construção; a posição solar, fator fundamental para as espécies a serem locadas; identificamos os pontos focais; materiais a serem empregados e reciclagem dos existentes; e com certeza, os anseios e a rotina do cliente.

Feito o ante-projeto e o projeto, com a devida aprovação….Eis o resultado:

Obs: Nem preciso falar que no mesmo dia em que plantamos, os colibris já estavam presentes, aprovando a mudança!!!

Em breve mais projetos realizados para voce conferir!!!

 

Publicado em Projetos realizados | Com a tag , , , , , | 2 comentários

O jardim no outono/inverno

A grande maioria das pessoas acha que o jardim, neste período, não precisa de cuidados. Ledo engano… O outono convida a maioria das espécies para uma temporada de hibernação, ou dormência, como chamamos, que acontece no inverno. Mas é nesta fase que as plantas assimilam e guardam os nutrientes que receberam no outono para o grande show na primavera.  Até 21 de junho, é época de adubar!!!

Sabes daquela velha teoria dos meses sem R? Pois é. São meses perfeitos para podas, tanto de limpeza quanto de podas radicais. Lembra? As plantinhas estão dormindo, sua seiva está bem devagar…
Claro que em algumas espécies…. Não vá podando tudo que vê pela frente não… imagina podar uma azaléia nesta época, ou então uma camélia, helicônia angusta…nem pensar, pois essas mostram sua  beleza no inverno.
Corte sempre em bisel (corte enviesado)
Ah, nem pensar também de esquecer o solo dos canteiros…assim como nossos pés precisam respirar, os pés, ops, as raízes de nossas plantas também. Então nada melhor que escarificar (fofar a terra) dos canteiros, mas com cuidado! Esse procedimento favorece a aeração, melhor dizendo: oxigenação das raízes. Uma correção  de solo é o ideal nessa etapa, mas este procedimento deve ser feito por um técnico competente.
Ferramentas apropriadas
Outro cuidado imprescindível no jardim são as regas: molhar ou não molhar?
Sabemos que neste período do ano a evaporação das águas é bem menor do que no verão e, se molharmos em demasia, colocamos nossas lindas plantinhas em perigo mas, (este será um novo post: pragas e doenças), em contra-partida, no período do inverno há escassez de chuvas, o que ocasiona o ressecamento do solo.
O que fazer? Bom, aí entra os elementos hidroretentores.
Meu Deus, o que é isso? Elementos hidroretentores são elementos que absorvem e mantém a umidade na quantidade certa. Exemplo disso é o húmus de minhoca que, além de cumprir essa função, ainda libera bons nutrientes para nossas amiguinhas.
Sobre a rega, é óbvio que precisamos molhar. Nós humanos, tomamos água no inverno, certo? Nossas plantinhas também!!! O método mais indicado ainda é a ponta do seu dedo… enterre na terra e sinta a umidade através desse princípio empírico e simples que continua a ser o mais eficiente.

Sempre é bom manter nossos canteiros cobertos. Isso ajuda a proteger o solo. Em partes com terra aparecendo, coloque casca de pinus ou pedrisco que, além de manter a umidade, dá um acabamento impecável a qualquer canteiro.
Ah…o gramado. Esse sofre com o inverno. O ideal é fazer uma boa limpeza: retirar ervas daninhas manualmente, retirando bem toda a raiz. Só depois deste trabalho podemos aparar. Fazer uma boa aeração (furos com ferramenta adequada), após o recolhimento das aparas. Isso fará com que seu gramado respire melhor, aumentando a luminosidade e diminuindo a umidade e temperatura, dificultando o aparecimento de pragas e doenças. Uma boa cobertura não só protege seu gramado do frio, como também nivela e agrega nutrientes perdidos no verão. Porém não soterre a grama: uma camada de no máximo 3cm já é suficiente. Agora é só molhar para incorporar a cobertura, com esses procedimentos sua grama ficará linda para a primavera.
Gramado de estádio sendo coberto
E agora? Ainda acha que não tem nada pra fazer no jardim nesta época??
Pratique essa terapia e aguarde o resultado: Um jardim lindo e saudável na primavera!!!
Abraços verdim, verdim pra “océis”!!!
Publicado em Dicas | Com a tag , , , , , , , | 6 comentários