Pragas – Esses bichinhos indesejáveis….

Todos nós sabemos que planta bem nutrida, com irrigação adequada, bem ambientada e com insolação na quantidade ideal para cada espécie, resistem muito bem e até repelem o ataque de pragas comuns em nossos jardins.

Neste post vamos falar de “pragas” mais frequentes em nosso jardim. Da identificação até o tratamento natural ( receitas caseiras), para a eliminação destes bichinhos inconvenientes.

fonte google

Formiga: Dentre todas as formigas, a mais temida em um jardim é a Cortadeira (Nome Ciêntífico: Atta spp), com sua colônia, pode devastar  plantações inteiras rapidamente, imagina num pequeno local como seu jardim…

A identificação do ataque fica muito claro, seus sinais são:

  • Folhas cortadas nas bordas,
  • Trilhas com minúsculos pedaços do vegetal,
  • Carreiros e ninhos ( formigueiros) que deverão ser identificados.

Ao eliminar partes do vegetal, a formiga limita a superfície foliar na qual é realizada a fotossíntese. Algumas plantas se recuperam rápido, se o ataque não for intenso, em outras pode levar a morte.

Controle: Aconselhamos sempre métodos naturais para o controle de ataques, pois quase sempre temos os ingredientes em casa, além disso são mais seguros. Então vamos a eles:

  • Procurar o ninho ou formigueiro. Colocar no “olho”do formigueiro, uma solução feita de uma parte de água sanitária para cinco partes de água, isso é necessário para eliminar o fungo que alimenta as formigas. Faça isso diariamente.
  • Usar plantas repelentes ou tóxicas, como: hotelã (pode ser plantada em canteiros ou seca, lançada no solo). Gergelim, é uma isca natural, a semente é tóxica e destrói o fungo que serve de alimentação para as “danadinhas”. A salsa é um ótimo repelente também.
  • Produtos repelentes: a casca de ovo moída, carvão vegetal moído ou farinha de osso (esta só poderá ser usada se no local não houver trânsito de cachorros). Faça uma círculo em volta da espécie a ser protegida.

Pulgão: São insetos sugadores de seiva, perfuram os vasos condutores e se alimentam consecutivamente, existem milhares de espécies e cores diferentes e se multiplicam rapidamente. Seu principal predador é a famosa “joaninha”. Também são transmis- sores de doenças entre as plantas e favorecem surgimento de fun- gos. A identificação é muito fácil, pois formam colônias na parte inferior de folhas, caules e talos, também deixam as folhas retorcidas. Podem levar a morte da espécie atacada.

Controle; A calda de fumo, costuma funcionar muito bem.  Receita: 10cm de fumo em corda picado, 10ml de álcool, 1 litro de água. Deixe curtir por 24h, para ocorrer a extração da nicotina, um ótimo repelente natural. Feito isso, dissolva em 10litros de água e pulverize as plantas. Funciona como repelente, então pode ser usado em plantas sadias também, como prevenção. Óleo mineral, comprado no comécio é um excelente repelente.

Vale lembrar que planta sadia têm resistência natural às pragas que costumam atacar as plantas deficientes.

Cochonilha: São insetos sugadores de diferentes formas e cores, as fêmeas não tem asas, ficam inerte em folhas, caules e axilas. O macho possue par de asas, parecendo uma mosquinha.  Sua reprodução é acelerada, as fêmeas depositam ovos  onde eclodem ninfas.

O excremento da cochonilha  é adocicado, o que atrai formigas, o que passa a ser um segundo problema para as plantinhas. Nesta substância, cresce um fungo negro, a fumagina, que prejudica o crescimento da planta e sua disseminação é feita pela formiga a procura da substância adocicada.

Controle:  Calda de fumo misturada a sabão de coco dissolvido em água. Pulverizar a planta afetada. O sabão forma uma camada que asfixia o inseto.  Uma boa pedida também é o óleo de Neen ou óleo mineral. Pode-se também fazer uma limpeza retirando a parte mais afetadas e queimando-as.

 

Curiosidades: Uma espécie de cochonilha mexicana, é usada na fabricação de verniz. Outra oriental, por segregar muita cera, é usada na fabricação de ceras e velas. Na India uma espécie é medicinal, e algumas  são fontes de corantes como o carmezin.                                  ( fonte: www.praga.com.br)

 

Lagarta: Marandovás, bicho-cabeludo, taturanas, todas conhecidas como lagartas, podem se transformar em borboletas,   ( hábitos diúrnos) ou mariposas (hábitos noturnos). Costumam atacar folhas novas, brotos novos, hastes tenras. Todas as plantas com folhas macias estão sujeitas ao ataque de uma lagarta. A identificação fica óbvia, folhas e brotos furados, roídos ou derrubados, com o inimigo “in loco”.

Controle: Catação manual é a melhor maneira de se livrar deste inimigo, mas vale lembrar que se não fossem elas, não veríamos a beleza e a graça de uma borboleta “borboleteando” em nosso jardim, então vale a pena a lei do bom senso!!!!

Como prevenção, pulverizar com óleo de Neen, facilmente encontrado em floriculturas e agropecuárias.

  •  Importante: usar luvas ao fazer a catação manual.

Ácaros: Aracnídeos minúsculos, atacam flores, folhas e brotos, deixando marcas semelhantes a ferrugem. Sugadores vorazes, enfraquecem a planta afetada ao desviarem nutrientes.O ataque faz com que a planta diminua seu crescimento, brotos novos com má formação ou superbrotação, diminuição da floração, e quando a infestação é grande, pode ocasionar a morte da espécie.

Controle: Calda de fumo , ou um acaricida de leite e farinha, proceda da seguinte forma: 1 litro de leite desnatado, 4 xícaras de farinha de trigo, 20 litros de água, misture bem o leite e a farinha, adicione 8 litros de água, depois coe, completar a mistura com o restante da água. Pulverize as plantas afetadas de 15 em 15 dias ou quando necessário.

Outra dica é borrifar as plantas com água regularmente, pois o ácaros não gostam de umidade.

Percevejos e vaquinhas: Conhecidos por “Marias-fedidas” ou “Fede-fede”, muitas vezes bonitinhos e coloridos, parecendo besourinhos, picam e sugam a seiva das plantas injetantando substâncias infectantes. Nos locais perfurados ficam manchas escuras. Seu ataque costuma provocar queda de folhas, flores e frutos, prejudica novas brotações. Seu principal predador é a Vespa.

Controle: Catação manual, use sempre luvas, pois esses bichinhos honram seu nome quando se sentem ameaçados…fedem mesmo!!!  Óleo de Neen ou calda de fumo também servem como repelente.

 

Mosca branca: São insetos recobertos por uma substância branca, por isso seus nomes vulgares: “moscas brancas” ou “piolhos farinhentos”. Sugam continuamente a seiva vegetal provocando o definhamento. Sem controle, leva  a morte a planta afetada.

Recentemente este inseto provocou a morte vários exemplares de ficus na cidade de São Paulo.

Controle: Calda de fumo e Óleo de Neen são usados como repelentes. Inseticidas naturais como Rothenox 5 concentrado Emulsionável, que é extraído da raíz do Timbó (Lonchocarpus nicou), também trazem um ótimo resultado, mas exige cuidados na aplicação, apesar de ser natural apresenta toxidade.

 

Tripes: Pequenos insetos alados, encontrados no inferior das folhas , flores, ramos e frutos, vivem em colônias  fácilitando sua identificação. Sugam a seiva vegetal. As partes afetadas ficam descoloridas e manchadas podendo transmitir viroses e doenças.

Controle: os mesmos procedimentos  do controle da mosca branca.

Bom, acho que detalhamos as principais “pragas”que assombram nosso jardim, como identificá-las, o “estrago”que ocasionam e como combatê-las com produtos naturais. O assunto é vasto, seria necessário, não um post, mas sim um livro. Sendo assim, para qualquer dúvida, não se acanhe, comente, pergunte, estaremos a disposição para ajudar.

Nos próximos, vamos conhecer algumas das principais doenças, falar de plantas companheiras (alelopatia), e mais receitinhas da vovó!!!!

Abraços verdinhos para todos!!

Voce também vai gostar de ver:

Sobre Clarice Kroeff Bergesch

Técnica em Paisagismo e Gestão Ambiental, formada pela Escola de Paisagismo/SP e Escola Técnica Bom Pastor/RS, atuante na área há mais de 10 anos. Possui formação multidisciplinar que abrange profundo conhecimento na área de Agronomia, Arquitetura, Botânica, Legislação Ambiental, Desenho Técnico, Artes Plásticas entre outros. Seus conhecimentos são aprimorados e atualizados através de cursos especializados com renomados profissionais da área, feiras, eventos, fóruns e congressos, para levar aos seus clientes a melhor combinação custo/beneficio com projetos diferenciados. Supervisiona pessoalmente todos os projetos, grandes ou pequenos, trabalhando sempre com sua equipe especializada.
Esta entrada foi publicada em Pragas e Doenças e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Pragas – Esses bichinhos indesejáveis….

  1. Lucilene disse:

    Olá Clarice! Gostei do seu site, das dicas e principalmente de sua criatividade. Acabei de me formar em agronomia e gosto muito desta parte sobre defensivos ecologicamente corretos e ao buscar sobre este assunto na internet, cheguei até você. Parabéns pelo site e com certeza o visitarei mais vezes.
    Att. Lucilene

    • Seja bem vinda Lucilene! Obrigada pelo carinho de tuas palavras. Ando meio relapsa com o blog, mas com certeza ativarei novamente. Estou preparando um material sobre doenças e métodos naturais de combate-las, tenho certeza que vais gostar! Parabéns pela escolha de profissão!!!
      Att Clarice

  2. JOSE ULIANO CAMILO disse:

    Aonde eu encontro ROTHENOX 5 para comprar, pois já procurei e não encontro.

    GRATO CAMILO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>